O papel dos psicodélicos na criação artística e cultural

Os psicodélicos são substâncias que afetam a mente e o comportamento, e podem levar a uma ampliação da percepção, imaginação e criatividade. Como resultado, eles têm sido utilizados por muitos artistas e criadores em diferentes formas de expressão cultural, como a música, a arte visual e a literatura.

Música

Desde os anos 1960, quando os psicodélicos se tornaram mais amplamente disponíveis, muitos artistas influentes como Jimi Hendrix, The Beatles, Pink Floyd, Salvador Dali e Aldous Huxley, entre outros, têm explorado as possibilidades criativas dessas substâncias. A música psicodélica, em particular, tem sido influenciada pelas experiências psicodélicas, com muitas bandas incorporando elementos como efeitos sonoros estranhos, letras profundas e coloridas, e estruturas musicais complexas.

Arte Psicodélica

Além da música, a arte visual também foi influenciada pelos psicodélicos. A arte psicodélica é caracterizada por cores vibrantes, formas orgânicas e padrões complexos que são inspirados pelas visões psicodélicas. O movimento artístico conhecido como “Op Art” é frequentemente associado aos psicodélicos, com seus padrões e formas abstratas que parecem se mover e dançar diante dos olhos do espectador.

Literatura

A literatura também tem sido influenciada pelos psicodélicos, com muitos escritores descrevendo experiências psicodélicas em suas obras. Aldous Huxley, por exemplo, descreveu suas experiências com mescalina em seu livro “As Portas da Percepção”, enquanto o escritor americano Ken Kesey escreveu sobre suas experiências com LSD em “Um Estranho no Ninho”.

Além do papel dos psicodélicos na criação artística e cultural, essas substâncias também podem ser usadas para ajudar a superar bloqueios criativos. Muitos artistas relatam que as experiências psicodélicas os ajudam a se libertar de padrões de pensamento limitantes e a acessar novas ideias e perspectivas.

No entanto, é importante ressaltar que o uso de psicodélicos não é isento de riscos e pode ter efeitos negativos se usado de forma incorreta e sem supervisão ou pedido médico. A pesquisa sobre o uso de psicodélicos na criação artística e cultural ainda é limitada, e é necessário fazer mais estudos para entender melhor os efeitos dessas substâncias sobre a criatividade e a produção artística.

Referências:

https://www.portalintercom.org.br/anais/nordeste2015/resumos/R47-0298-1.pdf

https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/3161601/mod_resource/content/1/ROZA%20e%20SANTOS%20cartazes_psicodelicos_origens_influencias.pdf

Horário de atendimento:

Segunda à Sexta-feira das 08:30 às 17:00

Responsável Técnico – Dr Carlos David Segre

CRM 10.596 / SP

+55 11 98993-9921
+55 11 3195-4821

Instituto Alma Viva Ltda – Cnpj: 46.833.974/0001-57 – Rua Sabará, 566 (Conj. 212/214) – Higienópolis – São Paulo – SP

Copyright © 2022 Todos os direitos reservados.


Psiquiatra e psicólogo, inscrevam-se para 2ª turma, Pós em Psicoterapia Assistida por Psicodélicos, aprovada pelo MEC. As aulas começam em 22 de junho.